quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

SEGURANÇA PÚBLICA - Câmara propõe plebiscito sobre a guarda armada

SEGURANÇA PÚBLICA
Câmara propõe plebiscito sobre a guarda armada

Em audiência, 90% das pessoas aprovaram a proposta, mas Legislativo considera fundamental a pesquisa ITAJAÍ - Antes de decidir pela implantação da Guarda Civil Comunitária armada, em discussão no município, a Câmara de Vereadores propôs um plebiscito. Terça-feira à noite, durante uma audiência pública, a prefeitura reuniu setores da segurança pública e sociedade civil para discutir o tema. Mais de 90% do participantes aprovaram a criação da guarda armada. Contudo, o presidente da Câmara, Luiz Carlos Pissetti (DEM), acredita que armar uma guarda civil, em um primeiro momento, não é o ideal para Itajaí.

– Eu acho que a guarda precisa ser criada, pois Itajaí está muito violenta. Mas não adianta armar guardas sem antes socializá-los com a população – argumentou Pissetti.

Na visão dele, após a guarda ser oficialmente criada, os oficiais devem passar por um estágio de seis meses a um ano e só depois, com o aval da população, eles seriam munidos de armas de fogo.

O secretário de Segurança do Cidadão, Carlos Ely Castro, avaliou que a ideia de um plebiscito é justa. Contudo, disse que a audiência pública cumpriu com as exigências legais e o quórum foi favorável à proposta de armar a guarda.

– Estamos seguindo orientações do Ministério da Justiça, que apontou que cidades com mais de 50 mil habitantes devem contar com uma guarda municipal armada – destacou Castro.

Segundo ele, a Guarda Civil Comunitária de Itajaí não terá atribuição de polícia. O intuito é cobrir a ausência de força policial patrimonial no Mercado Público, nas ruas, em eventos e principalmente durante a madrugada.

– Não adianta nada um plebiscito que pergunta se a pessoa é contra ou a favor. O correto é perguntar se você é a favor ou contra uma guarda armada, com academia de polícia, concurso público e comunitária. Aí sim, seremos democráticos – afirmou Castro.

O anteprojeto para criar a guarda armada está agora na Procuradoria do Município e depois será encaminhada à Procuradoria do Legislativo onde, segundo a prefeitura, será montado o projeto final.


http://www.clicrbs.com.br/jsc/sc/impressa/4,784,2806052,14092
raffael.prado@santa.com.br
RAFFAEL DO PRADO
Postar um comentário